Quarta-feira, 5 de Agosto de 2009

Falar verdade - a grande fraude

Com as escolhas das listas para as eleições autárquicas do PSD (exclusivas da sua líder????) ficamos finalmente a saber qual a essência do "Falar verdade" - mentir aos portugueses.

 

Os episódios são mais que muitos, nenhuma distrital sem casos e em que as imposições sejam aceites pelos lideres locais.

 

Primeiro a transparência do dia anterior foi imediatamente posta na gaveta, como mostram os casos na distrital de Lisboa. É preciso muita lata para fazer um discurso e no dia seguinte apresentar aquele senhor e aquela senhora como possíveis futuros deputados.

 

Depois os casos das outras distritais, onde os pára-quedistas são mais que muitos.

Deve ser a paixão do Pacheco Pereira pelas touradas que o coloca como cabeça de lista em Santarém. Pacheco Pereira, o toureiro?

Em Aveiro foi o grande apetite do Couto dos Santos pelos ovos moles que garantiu o lugar?

Em Vila Real, em Faro, em Castelo Branco (um açoreano?), em Setúbal, é infindável a lista...

 

Se esta senhora, dita líder, nem no seu próprio partido se consegue afirmar e congregar vontades, irá alguma vez conseguir liderar um país?

 

Para cópias do Sócrates ainda assim prefiro o original, pelo menos já sabemos com que contar.

Mulheres-homens não obrigado, mulheres na política sim, mas para uma postura diferente da que os políticos actuais fazem e que nos trouxeram à situação em que estamos.

por joca às 13:20
link | comentar | adicionar
Terça-feira, 7 de Julho de 2009

Preso por ter e por não ter!

Mais vale tarde que nunca...

O PS finalmente obrigou os seus a optarem por uma candidatura política única (ou Assembleia da República ou Câmaras), se foram obrigados pela conjuntura política ainda bem. Se estão a tentar limpar a face, também, pois o precedente fica aberto e de agora em diante não há mais desculpas para estes estratagemas políticos.

 

Será que os outros partidos (PCP, BE e CDS) também irão alinhar pela mesma bitola?

 

Quanto ao PCP não tenho a certeza que tenham vindo a cumprir com candidaturas únicas, mas admito que sim (Ruben Carvalho à CML; Rui Sá à CMP; ...), agora o BE e o CDS são abusivos no uso das suas figuras mestras para poli-candidaturas (Miguel Portas, Luis Fazenda, Paulo Portas, Nuno Melo and so on ...) tem sido pau para toda a obra. Aqui estes pequenos partidos perdem bastante da sua coerência política e da sua legitímidade em outros pontos da vida política.

 

Vem agora o deputado Manuel Alegre pedir às eurodeputadas Elisa Ferreira e Ana Gomes para escolherem entre as duas candidaturas a que se propuseram. Oh Dr. Alegre a escolha está feita à muito tempo, o tacho que estas senhoras querem é em Bruxelas e a candidatura camarária é só para encher chouriço... Estas senhoras candidataram-se para perder. Ser presidente da câmara era impossível (muito mais com esta posição de nem carne nem peixe) e ser vereador dá uma grande trabalheira, é melhor ficar lá pela Europa que agora até vão receber o dobro ao fim do mês!

 

Espero sinceramente que ambas levem um grande banho nas eleições autarquicas (e não por especial gosto pelos principais adversários políticos, tanto que o Rui Rio é umpolítico manhoso no mau sentido do termo e o Fernando Seara é também um tachista, mas mais dado a futeboladas) que é para aprenderem, e também para acabarem de vez estas manipulações políticas que só querem enganar o povo.

por joca às 11:50
link | comentar | adicionar
Quarta-feira, 1 de Julho de 2009

A versão feminina de Sócrates

Anda a Dra. Manuela Ferreira Leite a falar verdade e de repente...

 

A verdade desta senhora é exactamente a mesma verdade que o (Pseudo-Eng.) Sócrates nos pregou à 4 anos e meio, logo colocada na gaveta quando o tacho estava no Largo do Rato com todos os "porcos" e “porquinhos” rosa a amontoarem-se para chegarem ao seu quinhão.

 

Muito trabalhinho teve essa senhora para se vender como a antítese do Sócrates, mas a verdade é que é uma cópia.

Quem puxar um pouco pela memória conseguirá ver no passado político desta "líder"? do PSD as verdades que deixou por cumprir nas pastas ministeriais que ocupou (Educação e Finanças).

 

Anda a comunicação social a tentar vender que as eleições legislativas são para escolher o(a) primeiro-ministro entre estas duas figuras. Para isso não é preciso ir votar, vai dar no mesmo.

As eleições legislativas são para escolher 230 deputados, e quantos menos forem lambe-botas destas duas figuras melhor para a democracia portuguesa.

por joca às 17:41
link | comentar | adicionar
Terça-feira, 10 de Março de 2009

As pseudo-igualdades

Quando se pretende legislar para tentar "provocar" a igualdade entre pares algo vai mal.

 

O tópico que originou este post vem do futebol, mas nas mais diversas áreas existem casos similares. A medida proposta pela direcção da Liga Portuguesa de Futebol Profissional para impedir a realização de “clássicos” e “derbys” nas primeiras quatro jornadas ou em jornadas consecutivas (notícia TSF) é mais um caso das mentes retrogradas que geram muitas instituições portuguesas. Qual a razão base para promover esta iniciativa? Só vejo uma, transmissões televisivas ou seja dinheiro a tilintar...

Não estão à partida todas as equipas potencialmente capazes de ganhar o campeonato. Porquê criar medidas de excepção para 3 equipas?

 

... E o mesmo é válido para a lei das quotas nas listas partidárias a que vamos estar sujeitos já neste ciclo eleitoral.

Nos nossos dias temos poucas mulheres envolvidas na política e os partidos tem pouco leque de escolha para cumprir as quotas, o que vai produzir dois fenómenos muito prejudiciais:

1º) muitas mulheres em lugares não elegíveis, apenas para cumprir com a legislação (triste figura a que as mulheres ficam mais uma vez sujeitas pelo "macho lusitano" - pior do que não estar, é estar só para fazer de conta!);

2º) o mérito não é para aqui chamado, a escolha é feita com base no genero (não será inconstuticional?) e não no valor, capacidade, competência dos pretendentes.

 

A meu ver esta lei não acarreta nada de positivo para as mulheres, antes pelo contrário; há quem até possa dizer que aquela fulana ou sicrana apenas está onde está porque o partido A ou B teve de obedecer às quotas.

As mulheres tem valor pelo seu desenvolvimento pessoal ao longo dos anos de experiência, que foram adquirindo com o passar dos anos. E não estão na política por questões sócio-culturais que os homens criaram e que as mulheres tem (cada vez mais) sabido combater sem precisarem de favores "casca de banana".

por joca às 00:14
link | comentar | adicionar
Segunda-feira, 9 de Março de 2009

Uma nova forma de fazer política...

Quando há dias mencionei a nova forma de fazer política que as mulheres poderiam introduzir na política portuguesa... não estava a falar de comportamentos similares aos das deputadas Elisa Ferreira e Ana Gomes. Ao dispararem em todas as direcções (sendo candidatas simultaneamente nas eleições para o Parlamento Europeu e nas autárquicas), estas senhoras não estão a fazer um bom serviço ao país.

Por muito que afirmem que estão a defender a causa pública fica sempre a interrogação...
Também na política portuguesa a exclusividade deveria ser implementada. Apostem em defender as suas convicções num só sítio e façam-no bem, demonstrem que são realmente boas na sua actividade.
 
Esta é uma forma de fazer política que replica o mais "asqueroso" da política à moda "macho lusitano" que tanto nos tem habituado a classe política portuguesa. Não é nenhuma lufada de ar fresco!  
Tanto que ambas as deputadas têm ganho nos últimos anos (ainda que com alguns percalços) uma certa credibilidade junto da população portuguesa, estes actos deitam por água abaixo esse percurso.
 
Espero que os eleitores as penalizem quando chamados às urnas, particularmente nas eleições autárquicas (não é em Bruxelas que conseguirão responder às necessidades das populações locais...).

 

por joca às 16:49
link | comentar | adicionar
Domingo, 8 de Março de 2009

Mulher

Sem dúvida, uma das mais belas e mediáticas mulheres da actualidade que se aventurou (voltou a aventurar) na música, como homenagem à primeira maravilha da natureza (hoje e sempre...).

 

http://hypem.com/track/550041/Scarlett+Johansson-I+Wish+I+Was+In+New+Orleans

 

sons: Scarlett Johansson - I Wish I Was In New Orleans
por joca às 02:59
link | comentar | adicionar
Sexta-feira, 6 de Março de 2009

Continuando...

Continuando o post anterior, e já que em Portugal temos uma líder partidária, será que tem alguma lógica a mulheres votarem PSD por isso? Os ideais femininos (?) serão melhor defendidos se uma mulher for, por exemplo, primeira-ministra?

 

Nas eleições americanas muito se especulou sobre a vitória de Hillary Clinton com base no eleitorado feminino, mas tal não veio a acontecer...

 

Existe alguma fundamentação para as mulheres votarem em mulheres e os homens votarem em homens? Em sociedades onde este debate é possível?

 

Serão as mulheres incapazes de se submeter aos jogos e às intrigas políticas para a sua ascensão na política? Será necessário obedecer ao status quo instalado para fazer carreira política ou ascender a cargos de poder? Não terão as mulheres maior facilidade de subverter este status quo e introduzir uma nova forma de poder?

por joca às 12:55
link | comentar | adicionar

Dia Internacional da Mulher

Será que as mulheres precisam de um dia internacional? Será que são uma minoria ostracizada?

Não estão a dar de mão beijada os restantes 364 dias (ou 365) aos homens?

 

Provavelmente quando apareceu, o dia, tinha a sua lógica, mas esse pressuposto ainda se mantém, na nossa sociedade? O caminho a percorrer para a igualdade de género está em que patamar?

Talvez nas sociedades mais retrógradas, nas quais as mulheres continuam subjugadas ao poderio masculino, este dia tenha ainda lógica, mas nesses países não tem certamente expressão.

Estamos na Europa a comemorar este dia para as mulheres desses países continuarem (ou começarem) o seu processo de emancipação?

E Portugal não será ainda um desses países retrógrados, sem igualdade de direitos entre homens e mulheres?

Penso que a luta das mulheres tem outras formas de expressão mais eficazes, mais eficazes do que esperar receber, dos homens, um ramo de flores num dia exacto imposto pela sociedade...

Ainda a pouco se falou da desigualdade de salários. Não será esta luta necessária durante todo o ano? Comemorando um dia fica o assunto debatido e só no próximo ano volta à baila.

 

É necessário as mulheres saírem do armário e quererem tomar as rédeas do poder e lutar por ele com os homens. Para termos uma sociedade mais equilibrada em que diferentes vozes sejam ouvidas e diferentes visões sejam apresentadas

sons: Fragments from a space cadet (F. 11) - Kenneth Bager/Julee C
por joca às 12:27
link | comentar | adicionar

Todas as máximas já foram escritas. Resta apenas pô-las em prática - Blaise Pascal ...

pesquisar

 

Novembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12
13

14
15
17
20

21
22
24
26
27

28
30


posts

A face do péssimo jornali...

Das escutas...

Um currículo invejável pa...

Tourada - argumentos a fa...

Vaticano e igreja católic...

Louise Bourgeois - grande

TEDx Aveiro

Zeitgeist Movement (ZM)

Mulher objecto

A morte de uma heroína

arquivo

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Março 2009

tags

todas as tags

blogs SAPO

subscrever feeds